Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dona Pavlova

Este é um blog sobre tudo e sobre todos... Culinária, Fitness, Moda, Viagens, Desporto, Atualidade, Animais, Ensino, Entretenimento, Fotografia, etc...

Dona Pavlova

Este é um blog sobre tudo e sobre todos... Culinária, Fitness, Moda, Viagens, Desporto, Atualidade, Animais, Ensino, Entretenimento, Fotografia, etc...

Qua | 23.12.15

Livro Secreto #1: Lua-de-Mel em Paris

Como muitos de vós já devem saber, a M.J. teve a fantática ideia de organizar o "Livro Secreto", onde os livros que cada participante resolveu "doar", passam por todos os que aderiram. 

A mim, para começar, calhou-me este que veio da Tânia Gonçalves.

 

IMG_2065.jpg

 

A verdade é que o li num instante e não é que gostei. 

Não é o género de livros que eu leio e por isso certamente não o compraria porque não sou nada dada a romantismos puros e duros. Mas gosto de ser surpreendida e este romance surpreendeu-me pela positiva, tanto que até me apetece ir dar uma volta a Paris. 

Além do romance propriamente dito, a autora Elisabeth Adler faz-nos viajar por Paris, conhecer os locais, as paisagens e as pessoas.

Uma das frases mais marcantes do livro: "Seja como for terão sempre Paris...".

E é isso mesmo, não é um hotel de 7 estrelas, um restaurante de luxo, uma vista fantástica que irá ditar se foi a viagem da nossa vida.  O importante é termos ao nosso lado a pessoa certa.

E por falar na pessoa certa, o livro estava na minha mesinha de cabeceira e o G apercebeu-se o quanto me estava a entusiasmar, deve ter visto o título e veio com esta conversa:

- Podíamos ir a Paris nas interrupções do Carnaval, o que achas? 

Aquilo soou estranho, pois nem ele nem eu somos dados a romantismos, e Paris nunca foi de todo um destino que conste da nossa lista das "viagens a fazer", mas vamos lá embora... 

Paris aí vou eu!!!

 

Sinopse


Paris, a cidade mais romântica do mundo, é palco de luas-de-mel de sonho e de paixões recentemente descobertas. E para Lara Lewis é o lugar onde ela e o marido viveram o amor no seu melhor. Mais de vinte anos depois, Lara deseja reacender a chama do seu casamento e planeia uma aventura romântica para os dois: reconstituir todos os momentos da sua idílica lua-de-mel em Paris e pela França, visitar os mesmos lugares, comer nos mesmos restaurantes, explorar as mesmas aldeias mágicas. Porém, quando o marido lhe diz, à última hora, que existe outra mulher na sua vida, o coração de Lara quase se estilhaça em mil pedaços.

Algures na estrada da vida, Lara perdeu-se a si própria. Agora, terá de descobrir um novo rumo para a sua existência. Inesperadamente, Lara dá um passo ousado e convida um homem, mais novo e com quem ela acaba de se envolver, para fazer a tão desejada segunda lua-de-mel. O que se segue é a história de dois apaixonados errando pela França numa louca aventura romântica, que se inicia com voos perdidos e bagagem extraviada e termina como sendo a viagem de uma mulher para se encontrar a si própria e ao amor que lhe escapou a vida inteira.

Lua-de-mel em Paris é uma incursão apaixonante pelos sabores, sons, paisagens e aromas de França e a história de uma mulher que se reconcilia com o seu passado e se converte na mulher que sempre desejara ser.

«Profundamente envolvente, esta aventura romântica é perfeita para todos os que se sentem atraídos por Paris e pela França.»
Hello!

«Adler retrata a dinâmica de uma nova relação na perfeição, mas é a descrição pormenorizada e rica de Paris e de França que torna imperdível a leitura deste livro.»
Publishers Weekly

«Uma viagem maravilhosa sobre a luta de uma mulher para recuperar a sua identidade e amor-próprio.»
Romantic Times

«Fantásticas aventuras pela França conduzem a uma intensa jornada de autodescoberta.»
Booklist

 

 Venha o próximo

 

 

Ter | 22.12.15

Receitas de Natal - Revista Inominável

Como a Ceia de Natal se aproxima a passos largos, há que começar a pensar nos pratos que iremos apresentar à família.
No nº1 da Revista Inominável, apresentei 2 sugestões de cardápios, um para uma Ceia tradicional e outro para uma Ceia alternativa e mais saudável.

Para a Ceia Alternativa/Saudável as sobremesas que sugiro são estas:

aletria.png

Aletria

fatias douradas no forno.png

 Fatias Douradas no Forno

 

farófias.png

 Farófias

 

Para conhecerem estas saborosas receitas, cliquem no link abaixo que vos guiará até à Revista e, claro está, na página  40 e 41 encontrarão as receitas.

 

http://revistainominavel.blogs.sapo.pt/inominavel-no-1-13436

 

 

Bom Apetite!!!

 

 

 

Qui | 17.12.15

Então mas agora são todos hiperativos?

 

 

hiperatividade.jpg

 

Cada vez mais miúdos, crianças e até bebés começam a tomar a  famosa "Ritalina". Eu só faço uma pergunta:

Então mas agora são todos hiperativos?

Que engraçado, na minha altura não se ouvia essa palavra, nem havia esses problemas. Brincávamos na rua, esgotávamos as energias todas e depois nas aulas estávamos mais sossegados e atentos porque sabíamos que nos intervalos e quando chegássemos a casa podíamos brincar à vontade. Correr, saltar, subir, descer, cair, levantar, etc...

A meu ver, não é normal que numa turma de 20 alunos do 1º ano, todos com 6 anos, 1/4 seja hiperativo. A resposta é sempre a mesma:

"Eles não param quietos"...

Pois não, claro que não! Não os deixam correr, saltar, subir, descer, cair, levantar, e depois querem que eles parem quietos dentro da sala de aula ou em casa.

Eles são crianças, têm energia para dar e vender e têm de as gastar com diferentes atividades. Até eu não parava quieta se me pusessem sentada numa sala de aula, a realizar os trabalhos escolares, a ouvir um adulto durante 8h por dia, 5 vezes por semana, ou em casa a ver bonecada ao fim de semana.

Depois os casos da falta de educação. É mais fácil chamá-los de hiperativos do que mal educados, pois assim os pais descartam-se dessa responsabilidade - "EDUCAR OS FILHOS"

Ontem fiquei triste! Uma aluna com 6 anos, sem reação, adormecida de corpo e alma pelo medicamento da moda. Só porque falava pelos cotovelos e os pais já não a conseguiam ouvir. Diagnóstico: Hiperatividade, claro!

Deixem os miúdos brincar, correr, saltar, rir, chorar, cair, levantar e se for preciso partir a cabeça, pois só assim é que eles irão gastar as energias e serem realmente felizes.

 

Pág. 1/6